e62 3229-2610 3224-9932
d

Notícias

ATUALIZADA LISTA DE DENOMINAÇÕES COMUNS BRASILEIRAS

Publicado em : 10/09/2018

Fonte : ANVISA -

Atualizada lista de Denominações Comuns Brasileiras

Resolução da Diretoria Colegiada formalizou alteração em oito DCB, retificou duas, excluiu quatro e incluiu 30 novas denominações.


Por: Ascom/Anvisa
Publicado: 10/09/2018 15:17
Última Modificação: 10/09/2018 15:22

  

Está disponível a atualização da lista de Denominações Comuns Brasileiras (DCB). A nova versão foi publicada no Diário Oficial da União nesta quarta-feira, dia 5 de setembro de 2018, por meio da Resolução da Diretoria Colegiada -RDC 247 de 3 de setembro. Nesta edição foram alteradas oito DCB, retificadas duas, excluídas quatro e incluídas na lista 30 novas denominações.

A Anvisa atualiza com frequência os tópicos da lista de Denominações Comuns Brasileira. É possível consultar no site da Agência a relação completa e atualizada de DCBs, além de poder acessar o manual das DCB que reúne informações importantes que estabelecem regras e padrões sobre as Denominações do país.

Lista Consolidada DCB

A forma de publicação da lista de DCB mudou, antes eram publicadas seis listas dividas por categorias: Lista Geral, Insumos Farmacêuticos, Plantas Medicinais, Homeopáticos, Biológicos e Radiofármacos. Agora, há apenas a Lista Consolidada das Denominações Comuns Brasileiras (DCB) que substitui as seis listas anteriormente publicadas.

Na nova lista única, que reúne as informações dispostas nas antigas seis listas, também foram acrescentadas informações sobre o histórico de inclusões, retificações, alterações e exclusões de DCB, a partir da publicação da Resolução da Diretoria Colegiada – RDC 64, de 28 de dezembro de 2012. Vale lembrar que as nomenclaturas tachadas não são vigentes (conforme respectivas publicações no Diário Oficial da União).

DCB

Denominação Comum Brasileira (DCB) é a denominação do fármaco ou princípio farmacologicamente ativo aprovada pelo órgão federal responsável pela vigilância sanitária (Lei 9.787/1999). Com o advento do registro eletrônico, adquiriu uma concepção mais ampla e inclui também a denominação de insumos inativos, soros hiperimunes e vacinas, radiofármacos, plantas medicinais, substâncias homeopáticas e biológicas.

Tais denominações são empregadas nos processos de registro, rotulagens, bulas, licitação, importação, exportação, comercialização, propaganda, publicidade, informação, prescrição, dispensação e em materiais de divulgação didático, técnico e científico em todo o país.

Notícias

AJUDA AOS SERVIDORES

14/01/2019 O POPULAR

ANVISA REGISTRA GENÉRICO PARA COMBATER INFECÇÕES

09/01/2019 Anvisa
Anvisa registra genérico para combater infecções

A INCONSTITUCIONALIDADE DE LEIS ESTADUAIS E MUNICIPAIS QUE ESTABELECEM A OBRIGATORIEDADE DO EMPACOTAMENTO DE COMPRAS

09/01/2019 CNC

ANVISA QUER INFORMATIZAR CONCESSÃO DE RECEITUÁRIOS DE CONTROLADO

08/01/2019 Anvisa
Anvisa quer informatizar concessão de receituários de controlado

AJUSTE NECESSÁRIO

07/01/2019 O POPULAR
Ajuste necessário

FELIZ NATAL !

21/12/2018 ADMINISTRAÇÃO SINCOFARMA
 

PROJETO PREVÊ DATA DE VALIDADE LEGÍVEL NAS EMBALAGENS

20/12/2018 GUIA DA FARMACIA
PROJETO PREVÊ DATA DE VALIDADE LEGÍVEL NAS EMBALAGENS

CANCELADO REGISTRO DE 17 MODELOS DE GLICOSÍMETROS

18/12/2018 Anvisa
Cancelado registro de 17 modelos de glicosímetros

HORA DE PACIFICAR

12/12/2018 O POPULAR

LOTES DE MEDICAMENTOS SÃO SUSPENSOS POR IRREGULARIDADES

10/12/2018 Anvisa
Lotes de medicamentos são suspensos por irregularidades

CONTE COM O SINCOFARMA-GO,PARA REGULARIZAR A DOCUMENTAÇÃO DA SUA EMPRESA

07/12/2018 Sincofarma-Go
CONTE COM O SINCOFARMA-GO, PARA REGULARIZAR A DOCUMENTAÇÃO DA SUA EMPRESA

VENDA DE MIP EM SUPERMERCADO TERÁ AUDIÊNCIA PUBLICA

22/11/2018 Sincofarma-Go
VENDA DE MIP EM SUPERMERCADO TERÁ AUDIÊNCIA PÚBLICA

CONVOCAÇÃO - ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DIA 28-11

19/11/2018 ADMINISTRAÇÃO SINCOFARMA

ABRANGÊNCIA NACIONAL DAS RECEITAS MÉDICAS

14/11/2018 TV BRASIL CENTRAL

ANTIBIÓTICOS: USO INDISCRIMINADO DEVE SER CONTROLADO

14/11/2018 Anvisa
Antibióticos: uso indiscriminado deve ser controlado