e62 3229-2610 3224-9932
d

Notícias

VACINA DENGUE: ESCLARECIMENTOS

Publicado em : 29/11/2017

Fonte : ANVISA -

Vacina dengue: esclarecimentos

A recomendação é que a vacina não seja tomada por pessoas que nunca tiveram contato com o vírus da dengue.
Por: Ascom/Anvisa
Publicado: 29/11/2017 10:01
Última Modificação: 29/11/2017 10:08

  

 

O fabricante da vacina dengue, Dengvaxia, o laboratório Sanofi-Aventis, apresentou informações preliminares e ainda não conclusivas, que apontam que indivíduos podem desenvolver formas mais graves da doença, quando usam a vacina sem ter tido contato prévio com o vírus da dengue.

Inicialmente, a bula da vacina será atualizada, enquanto a Anvisa avalia os dados completos dos estudos a serem apresentados.

Tomo a vacina ou espero?

Neste momento, e até que a avaliação seja concluída, a recomendação é que a vacina não seja tomada por pessoas soronegativas, ou seja, pessoas que nunca tiveram contato com o vírus da dengue. Esclarecemos que este risco não havia sido identificado nos estudos apresentados para o registro da vacina na população para a qual a vacina foi aprovada.

A Dengvaxia foi aprovada no Brasil em 28 de dezembro de 2015.  A vacina não é oferecida pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Confira a Nota Informativa sobre a Vacina da Dengue Sanofi

Antes do registro, a vacina foi estudada em mais de 40.000 pessoas em todo o mundo. Os ensaios clínicos seguiram os padrões estabelecidos por guias internacionais como “Guidelines for the clinical evaluation of dengue vaccines in endemic areas” da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Atualmente a vacina da Sanofi é a única aprovada no Brasil. O produto é indicado para imunização contra os 4 (quatro) subtipos do vírus da dengue. Para as pessoas que já tiveram dengue, o benefício do uso da vacina permanece favorável.

As informações preliminares sobre alteração do perfil de segurança da vacina foram apresentadas para a Anvisa nesta semana. A Agência já realizou uma reunião com a Sanofi e com o grupo de vacinas da Organização Mundial da Saúde para avaliar o caso.

 

Notícias

STJ JULGA INCONSTITUCIONAL LEI DE SC QUE PROIBIA PROPAGANDA DE REMÉDIOS

21/09/2018 JUSBRASIL
STJ julga inconstitucional lei de SC que proibia propaganda de remédios

REPATHA: NOVA INDICAÇÃO PARA TRATAMENTO CARDIOVASCULAR

20/09/2018 ANVISA
Repatha: nova indicação para tratamento cardiovascular

COSMÉTICOS PARA CRIANÇAS TÊM REGULAMENTAÇÃO SIMPLIFICADA

18/09/2018 ANVISA
Cosméticos para crianças têm regulamentação simplificada

LEI Nº 20.116, DE 08 DE JUNHO DE 2018

18/09/2018 GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS

GOIÁS POSSUI UMA FARMÁCIA ABERTA A CADA 27 HORAS

13/09/2018 DIÁRIO DA MANHÃ
 

COMUNICADO IMPORTANTE SOBRE DOCUMENTOS RELACIONADOS AO PROGRAMA FARMÁCIA POPULAR

12/09/2018 Ministério da Saúde
Comunicado importante sobre documentos relacionados ao programa Farmácia Popular

O QUE SÃO MEDICAMENTOS " OFF LABEL" E QUANDO SEU USO É POSSÍVEL SEGUNDO O STJ?

11/09/2018 SERGIO PONTES - ADVOGADO
O QUE SÃO MEDICAMENTOS "OFF LABEL " E QUANDO SEU USO É POSSÍVEL SEGUNDO O STJ?

ATUALIZADA LISTA DE DENOMINAÇÕES COMUNS BRASILEIRAS

10/09/2018 ANVISA
Atualizada lista de Denominações Comuns Brasileiras

O STF DECIDIU QUE PODE TERCEIRIZAR. E AGORA? DEVO TERCEIRIZAR TUDO?

10/09/2018 STF
O STF decidiu que pode terceirizar. E agora? Devo terceirizar tudo?

FARMÁCIA REGIONAL NÃO PODE USAR NOME QUE REMETA A REDE NACIONAL

10/09/2018 JUSBRASIL
Farmácia regional não pode usar nome que remeta a rede nacional

ESTUDANTE DE MEDICINA ADAPTA RECEITA PARA PACIENTE ANALFABETO

06/09/2018 O POPULAR
Estudante de medicina adapta receita para paciente analfabeto 

5 DE SETEMBRO DIA OFICIAL DA FARMÁCIA

05/09/2018 ADMINISTRAÇÃO SINCOFARMA
           

APARECIDA PODE LIBERAR CONVENIÊNCIAS EM FARMÁCIAS

03/09/2018 O HOJE
Aparecida pode liberar conveniências em farmácias

SISTEMAS FICARÃO INDISPONÍVEIS DIA 1/9

31/08/2018 ANVISA
Sistemas ficarão indisponíveis dia 1/9

POR MAIORIA, STF DECLARA CONSTITUCIONAL A TERCEIRIZAÇÃO DE ATIVIDADES-FIM E MEIO

31/08/2018 Jus Brasil
POR MAIORIA , STF DECLARA CONSTITUCIONAL A TERCEIRIZAÇÃO DE ATIVIDADES-FIM E MEIO